quinta-feira, 10 de janeiro de 2008
A Exploração do Trabalhador
Um dia desses pela manhã o presente autor, conversando com a servente de certa empresa, chegou a uma conclusão que parece óbvia, mas que não é assim tão óbvia. A conclusão de que todo o trabalhador é explorado.

Antigamente mais freqüente nos discursos políticos, nas dissertações e teses da academia, e, consequentemente, na mídia, a temática da exploração do trabalhador foi, gradativamente, substituída pela das maravilhas que é o estar empregado. O enorme “exército de reserva” mencionado por Marx parece ter finalmente oprimido definitivamente a “força empregada”.


Por outras palavras, ocorre que muitas das barbáries que aconteciam no mundo do trabalho, não findaram e insistem em permanecer. A diferença é que, em virtude de melhores equipamentos, locais de trabalho – os shopping centers são exemplo disso –, técnicas e tecnologias a exploração é mascarada e fantasiosamente anestesiada. O anestésico é o privilégio de estar inserido no mercado e a vantagem de poder contar com um ótimo ambiente de trabalho climatizado e um chefe benevolente (e mesmo isso nem sempre é verdade).


Isso remete a discussão à questão da desigualdade, da distribuição de renda, e, em última instância, à problemática de todo um sistema, o sistema capitalista.


Obviamente não se pretende esgotar esses assuntos nessa breve publicação, porém, rapidamente, passemos a algumas considerações: Segundo Peet (1975) a desigualdade social é inerente ao sistema capitalista. O geógrafo da Clark University escreve isso com base em Marx, filósofo que, por sua vez, tinha uma visão bastante objetiva quanto ao referido sistema, dizendo que qualquer mudança que fosse não seria possível sem antes alterar as bases do próprio sistema. Na mesma linha, outro geógrafo, agora brasileiro, dizia que o capitalismo e todas as suas manifestações, tais como a Globalização, são fábulas; alegorias em virtude de serem mentiras, coisas que não existem de fato, ou ainda, figuras de linguagem que pregam algo fictício (SANTOS, 2000). É o velho fatiamento do bolo. O sistema diz que você pode ter o tamanho de fatia que quiser, porém, como se verá adiante, em nível de Brasil, 63% do total da torta pertence a alguns poucos (20% da população), o que sobra deve literalmente ser disputado pelos outros 80% da população. Emerge a pergunta: “como se pode ter uma fatia grande de uma guloseima se uma fração muito pequena desta (37%) é reivindicada pela grande maioria?”.

Isso encaminha à questão da distribuição da renda; à reflexão acerca de como se dá a distribuição do capital gerado pelo sistema. Como dito acima, em nível nacional, essa distribuição se mostra muito desigual, confronte-se com a tabela abaixo:


:::clique aqui para visualizar a tabela:::


Alguns poderiam dizer que a renda per capta brasileira não é assim tão baixa (2850 dólares anuais), porém:



Na realidade, a renda per capta é apenas uma média aritmética, uma abstração que não existe de fato. É a mesma coisa que dizermos: ‘cada Brasileiro come, em média, dez frangos por ano’. Ora, sabemos muito bem que existem brasileiros que comem bem mais de dez frangos por ano e outros que não como nenhum. (VESENTINI e VLACK, 2004, p. 45).


Para se comparar, ainda, os dados aqui apresentados e o Brasil com outros países é interessante observar a tabela abaixo:


:::clique aqui para visualizar a tabela:::


Nota-se, pois, que as desigualdades sociais são ainda muito gritantes em países como o Brasil, e, para se manter esta dinâmica o sistema dispõe e utiliza de muitos expedientes. Um deles é, certamente, o da exploração. Esquecida mas ainda existente nas empresas, a exploração é o aproveitamento máximo da força de trabalho. É, segundo Peet (1975), a compra não só da força trabalhadora, mas, também, a chantagem que exige a criatividade, a desenvoltura e toda a sorte de atitudes e motivações que possam aumentar os lucros do grupo dos 20% mais ricos. Hoje, reafirmando o que foi dito no iníncio, tudo isso é feito de forma maquiada, oferece-se um ambiente de trabalho mais confortável (embora nem sempre), oferta-se um status que deve ser alcançado – que acaba sendo, e realmente é, o anestésico que impede que o trabalhador se conscientize do abuso – e que é constantemente propagandeado pela mídia, novelas, etc. tornando-se o objetivo de toda a massa empregada que acaba, assim, por acreditar e dormitar frente a fábula do capitalismo.


REFERÊNCIAS:


PEET, Richard. Desigualdade e Pobreza: uma teoria Geográfico-Marxista. Disponível em: <http://ivairr.sites.uol.com.br/marx.htm>. Acesso em: 10 jan. 2008.


SANTOS, Milton. Por uma outra Globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.


VESENTINI, José William, VLACH, Vânia. Geografia Crítica: Geografia do Mundo Subdesenvolvido. Vol. 3. São Paulo: Ática, 2004.

posted byDonarte N. dos Santos Jr.@quinta-feira, janeiro 10, 2008  
0 Comments:
Postar um comentário
<< Home
 
::::::::::::::::::::::::::::::::
Algumas ideias que batizaram e permeiam o presente ciberespaço; pensamentos mais ou menos fixos que o autor tem:
::::::::::::::::::::::::::::::::

A Mitologia Grega...:

- “A Argo: Nave dos Argonautas, construída sob a direção de Minerva, nos bosques de Dodona. O termo significa ‘rápido.’

O Fernando Pessoa...:

- o seguinte poema do escritor português:


Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso; viver não é preciso". Quero para mim o espírito [d]esta frase, transformada a forma para a casar como eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar. Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. Só quero torná-la grande, ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a (minha alma) a lenha desse fogo. Só quero torná-la de toda a humanidade; ainda que para isso tenha de a perder como minha. Cada vez mais assim penso. Cada vez mais ponho da essência anímica do meu sangue o propósito impessoal de engrandecer a pátria e contribuir para a evolução da humanidade. É a forma que em mim tomou o misticismo da nossa Raça. (Fernando Pessoa)



A antipatia a Nietzsche...:

- Parece poder ser possível usar o Nietzsche contra ele mesmo: "Nietzsche vs Nietzsche", pois o que ele escreve, se bem analisado, é contraditório (no mal sentido do termo). Assim, isso é bem possível de ser feito...

A contra-argumentação aos céticos...:

- “Só se poderia negar a validez à demonstração se se provasse, com absoluta validez, que o homem nada pode provar com absoluta validez” (SANTOS, Mário Ferreira dos. Filosofia Concreta. São Paulo: É Realizações, 2009, p. 61).

 

 

Bem Vindo(a)!!!

Sobre este Blog

Última Publicação



Blog/Site do prof. Donarte: textos, imagens, ideias, pensamentos, conceitos, definições e opiniões preferencialmente inéditos, de autoria do professor, na área da Geografia, Filosofia, Educação e Ciências.


O conteúdo do presente ciberespaço pode ser livremente reproduzido, observada a citação da fonte. Ver "©Copyright – Todos os direitos Reservados", logo abaixo:

Site

Visite o site do professor
O que o professor lê?

Últimas leituras
Conteúdos Específicos

Textos sobre Geografia física.

Textos sobre Geografia humana.

Dicas sobre o Vestibular.
Notas de Aula

Registro da Prática e Diário de Classe
Blogs dos Estudantes da Escola Porto Novo (2015 até hoje)

Blog dos alunos do projeto LIAU.

Blogs dos Estudantes do Colégio Marista Assunção (2010)

Blog dos alunos do 2º ano (221).

Blog dos alunos do 2º ano (221).
Blogs dos Estudantes do Colégio Marista Assunção (2008/2009)

Blog dos alunos do 5ª série (152).

Blog dos alunos do 8ª série (181).

Blog dos alunos do 8ª série (182).

Blog dos alunos do 1º Ano (211).

Blog dos alunos do 1º Ano (212).

Blog dos alunos do 2º Ano (221).

Blog dos alunos do 3º Ano (231).
Blogs dos Estudantes da Escola Maria Goretti (2006)

Blog dos alunos do1º Ano.

Blog dos alunos do2º Ano.

Blog dos alunos do3º Ano.
Blogs dos Estudantes da Escola Maria Goretti (2005)

Blog dos alunos do3º Ano.
Blogs e Sites que acompanho, verdadeiros mananciais

  • Prof. Dr. phil. Agemir Bavaresco (Revista Opinião Filosófica)


  • Prof. Dr. phil. Eduardo Luft.


  • Prof. Dr. phil. Nythamar Hilario Fernandes de Oliveira Junior.


  • Prof. Pedro Demo (blog novo)


  • Prof. Dr. phil. Ricardo Timm de Souza.


  • Prof. Dr. Rualdo Menegat.


  • Links

  • Água Bio
  • Água on-line
  • Águas, Brasil das
  • ANA
  • Água, Universidade da (2:o.k.)
  • Astronomia (Zênite)
  • BBC-Brasil
  • Canal Ciência
  • CAPES
  • Chaos Nonlinear Dynamics
  • Chaos on the Web
  • Defesa Civil RS 199
  • Edge-The Third Culture
  • EFE-Agência de Notícias (Brasil)
  • Embrapa
  • Expedição Trópico de Capricórnio
  • Fractal Geometry
  • Fepam
  • IBGE
  • Meio Ambiente on line
  • Ministério do Meio Ambiente
  • Museu de Ciências e Tecnologia-MCT
  • Observatório Nacional-ON
  • Organização dos Estados Americanos (OAS)
  • Programa Antártico Brasileiro-PROANTAR
  • Rep. Fed. do Brasil (oficial)
  • Revista Galileu
  • Scientific American-Brasil
  • Scientific Eletronic Library Online (SciELO)
  • Subaru Telescope
  • The Independent
  • Universidade da California (Condensed Matter Physics)
  • Textos Recentes

    Textos Antigos

    O Autor

    Nome:
    Donarte N. dos Santos Junior
    Residente em:
    Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
    Formação:
    - É Licenciado em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
    - É Especialista no Ensino de Geografia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
    - É Mestre em Educação em Ciências e Matemática (PUCRS).
    - É Mestrando em Filosofia (PUCRS).
    Atuação Profissional:
    - Foi Técnico em Geoproce ssamento do L/li/liaboratório de Tratamento de Imagem e Geoprocessamento (LTIG) da PUCRS.
    - É Professor da Prefeitura Municipal de Porto ALegre.
    Título da primeira dissertação de mestrado:
    “Geografia do espaço percebido: uma educação subjetiva”, que alcançou grau máximo obtendo nota 10,0.

    Clique aqui para ler a dissertação

    Clique aqui para Ver currículo Lattes completo

    Mais sobre o autor
    O Autor no Facebook

    Curta a "Fan Page" do autor!!!

    O Autor no Twitter

    Siga o autor no Twitter!!!
    "E-Mail"

    Entre em contato com o autor
    Livro de Visitas

    Registre a sua visita neste blog :-)
    Número de Visitantes

    Free Blogger Templates

    BLOGGER

    © Copyright

    Todos os direitos Reservados.



    Os textos inéditos aqui publicados podem ser utilizados por qualquer pessoa, desde que respeitada a devida citação da fonte, apontando o link da postagem original de onde foram retiradas as informações.


    É proibido fazer modificação e alteração dos textos inéditos, bem como, das imagens inéditas e demonstrativas que os acompanham.


    É vedada a Criação de Obras Derivadas dos textos inéditos aqui publicados, bem como, das imagens inéditas, a não ser respeitando a devida citação da fonte, apontando o link da postagem original de onde foram retiradas as informações.


    Portanto, a reprodução integral ou parcial das produções textuais e imagéticas inéditas, próprias e de autoria do professor, aqui publicados, é permitida, com a expressa autorização do autor e nos termos acima citados, caso contrário será tipificado crime de Plagio.

    Free Blogger Templates

    BLOGGER

    Última atualização de "template", em:

    27 de fev., 2018.